segunda-feira, 31 de dezembro de 2018





DOIS ZERO UM NOVE...



Use branco.
Não falo da roupa. A roupa é o de menos!!! Use branco na alma. Não entre em disputas. Não chute cachorro morto. Entre um desaforo e uma resposta atravessada, escolha a paz.

Varra a casa.
Do fundo até a porta. Varra tudo!!!
Mágoas, desgostos, rancores... Amores não correspondidos? Falsos amigos? Varra! Aspire! Espane! Não deixe nem poeira. Entre limpo.

Quebrou?!? Jogue fora.
Se for a sopeira que você herdou da sua avó, conserte. Sua avó agradece. Mas em se tratando de amores, trabalhos, amizades, relações de todo tipo... Quebrou? Rachou? Avalie se vale a pena guardar. Investir em quem não merece é desperdício de energia. Ponha a fila para andar.

Louro na carteira.
Dizem que garante dinheiro. Mas se preferir um moreno, não faça cerimônia! Vá em frente...

Use cor amarela.
A cor amarela é a cor da prosperidade. Ajuda nos caminhos do sucesso. Mas não faz milagre. Então use amarelo e trabalhe. Se esforce, estude, faça mais que o melhor possível. O melhor possível você já conseguiu até aqui.

Sete ondas.
Aliás, pule ondas, gente falsa, desaforos, prejuízos. Se não der para pular, desvie.

Use lingerie nova.
Fala sério, isso é só no primeiro dia do ano?!? Jogue fora aquela calçola velha, desbotada, furada, de elástico frouxo. É um corta-tesão danado. Pior que encosto. Sem maiores detalhes: Lixo com ela!!!

Coma lentilha, uvas, romã...
Olha só, coma o que quiser. E coma, principalmente, a vida! Coma com gosto! Caia de boca! Se lambuze!!!

Não coma peru ou frango (porque ciscam para trás).
Agora vamos combinar, você gruda no passado como chiclete em cabelo, passa anos esperando o amor que já se foi, vive atrelada ao que já está desfeito?!? Não ponha a culpa no pobre do frango!!! Você cisca para trás muito mais do que ele. Caminho é em frente!!!

Não deixe roupas viradas pelo avesso.
Isso se você acreditar que avessos são ruins. Não são!!! Avessos são nosso lado mais verdadeiro. Nossa versão mais crua. Desvire, se não quiser ficar exposta por aí. Avessos devem ser mostrados a poucos. Apenas aos que merecem. Algumas pessoas passam a vida viradas como tartarugas de casca para baixo. Balançam pernas e braços. Aflitas, não saem do lugar.

Um ano novo começa. Mas só vale se você se desvirar. Desvire a vida, os amores, os afetos. Arrume a alma. Faxine seu coração. Ponha a vida para andar...

Vida é renda de bilro. Teçamos o ano novo com capricho. Sem nós, sem embaraços. Nos melhores caminhos e nas mais lindas cores. Teçamos a vida que vamos vestir. No nosso número, sem apertos, sem sobras inúteis. Na plena beleza do que cada um merece e pode ter.

Dois zero um e nove... essa é a senha para o recomeço.



 Amigos, desejo a cada um de vocês: esperança e fé. Aquela esperança que faz a gente acreditar na renovação e em dias melhores e a que nos impulsiona para o futuro e nossos sonhos!!!

Feliz Novo Ano. Seja bem vindo 2019!!!

Shadow/Mariasun Montañés


segunda-feira, 29 de outubro de 2018







E AGORA, JAIR?


E agora, Jair?

A campanha acabou,
a urna fechou,
o povo comemorou,
o dia seguinte chegou,

E agora, Jair?
E agora, você?

você que votou,
que mito apoiou,
você carente de um líder,
que acreditou, espera o quê?

E agora, Jair?
O povo está sem emprego,
está sem teto,
está sem alento,
já não pode iludir-se,
já não pode deixar pra amanhã,
mudanças não podem esperar,

a eleição passou,
a esperança ao vento,
a fé no voto,
a crença de que vai dar certo,
a utopia no messias
e tudo é espera
e tudo é carência
e tudo é incerteza,

E agora, Jair?
E agora, Jair?

Sua palavra calculada,
suas promessas feitas,
sua limitada capacidade de diálogo,
seu comportamento instável,
sua sinceridade nua e crua,
seu corporativismo ultrapassado,
seu inexpressivo mandato parlamentar,
sua missão - e agora?
Com o país nas mãos
quer  a República reformar,
República de mentiras e corrupção;
quer um país uno verde-amarelo,
mas ele rachou;
quer o desenvolvimento do Brasil,
Brasil cantado em versos.

Jair, e agora?

Se você falhasse,
se você errasse,
se você alianças fizesse
com o Centrão,
se você barganhasse pelas Reformas,
se você decepcionasse,
se mito você deixasse de ser...

Tudo seria mais fácil,
mito você não é, Jair!

Governar é solitário
liderar é tudo,
sem autoritarismo,
sem arrogância
para dialogar,
sem falsas-promessas
para não decepcionar,
você tem o poder, Jair!
Jair, o que fará com ele?




                                                Que o Brasil novo nasça para todos amanhã...


Shadow/Mariasun Montañés


Licença Creative CommonsE AGORA JAIR? de MARIASUN MONTAÑÉS está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.



sábado, 20 de outubro de 2018




AS TEMIDAS REDES SOCIAIS NA ELEIÇÃO 2018



Aqui, nesta terra chamada Brasil, que acolhe descendentes de índios, negros, imigrantes vindos de todos os rincões do mundo, rica pelos seus contrastes e diversidade, temos tudo para ser grandes, não fosse o sistema político ser um cadáver em decomposição.

Estamos a uma semana do segundo turno da eleição para o cargo mais importante do país. Uma eleição estranha. Uma eleição que dividiu amigos, famílias, bloqueou conhecidos nas redes sociais, despertando o lado sombrio e o que há de pior em cada um de nós, sem notar que fechadas as urnas, aquele que pensa diferente, estará lá no dia seguinte. 

O ódio e a intolerância parece haver se disseminado entre um povo pacífico, cordial e amigo. O marketing e a campanha dos candidatos levaram a isso. É inacreditável!!!

Quando parecia já termos visto tudo nesta eleição, como candidato encarcerado lançando sua candidatura à Presidência, criando a figura do presodenciável; surgimento do cargo de vice do vice de um presidiário; unção de vice da chapa ao cargo majoritário, declarando que irá ocupar o cargo para servir, não ao povo, mas a um réu preso por corrupção e lavagem de dinheiro; campanha eleitoral no rádio e TV com a presença de preso condenado em duas Instâncias do Judiciário, como se candidato à Presidência fosse, apesar de haver tido sua candidatura impugnada pelo TSE; ONU dando parecer sobre o nosso processo eleitoral e o Ministro Edson Fachin endossando, em detrimento da nossa soberania e dos nossos Tribunais, TSE e STF; Ministros do STF - a mais alta Corte do país - conflitando e pirraçando em meio a "datas vênias" e salamaleques sobre autorização para realização de entrevista - com fins eleitoreiros - por jornal paulista com presidiário condenado a mais de 12 anos em regime fechado; políticos comunistas - ateus - em campanha, indo à Igreja, comungando e pedindo a bênção ao santo Padre; presidiário desempenhando a função de assessor político no processo eleitoral; PT adotando o verde e amarelo como suas cores ao invés do vermelho; eleitores atuando como marqueteiros de candidatos nas redes sociais... a Superintendência da Policia Federal de Curitiba, transformada em Comitê Eleitoral do PT, isso mesmo minha gente, a sede da Policia Federal!!!

Pois é... quando parecia que nada mais poderia nos surpreender... eis que na reta final das campanhas e diante da iminente derrota no segundo turno, o PT pôs em ação o seu "planoB" e, na base do tapetão, tenta deslegitimar a eleição perante o país e o Mundo, afrontando a vontade popular. Passou a acusar - sem provas - o seu adversário de fazer o que ele sempre fez por meio de dossiês falsos e marqueteiros como Duda Mendonça, João Santana, Mônica Moura: fraudar o processo eleitoral. 

Não deixa de ser constrangedor ver Gleisi Hoffmann ocupar a Tribuna do Senado para lançar a ofensiva de que uma "organização criminosa", inclusive com ramificações internacionais, estaria atuando nas redes sociais para impulsionar a eleição do adversário e manipular vontades. Esse é um daqueles momentos, onde a gente lembra da nossa mãe dizendo: "o silêncio muitas vezes é ouro"...

A Folha de São Paulo, por sua vez, acusa empresários de estarem comprando pacotes de mensagens em massa e utilizando o Whatsapp para desferir uma campanha contra o PT, cometendo crime de Caixa2. Oi???? O que doações de campanha ilegais, não declaradas ao TSE, estas sim configurando Caixa2, tem a ver com o apoio espontâneo a um determinado candidato ou partido?!?

Definitivamente o Brasil não é para os fracos!!!

O que está havendo é que por meio das redes sociais as pessoas ganharam voz, e dentre elas, os empresários, tão demonizados na era lulopetista. O Whatsapp e o Twitter estão sendo usados para compartilhar impressões e mensagens sobre o atual momento político do país e dos políticos. É uma nova forma de debater Política. Isso não constitui crime!!! Até onde se saiba a liberdade de expressão ainda é uma garantia constitucional. Até onde se saiba... Haja vista que contas do Whats e do Twitter têm sido rastreadas e suspensas, sem justificativa ou aviso prévio, em razão do posicionamento político, que cada um tem o direito de expressar. Isso é censura, meus senhores!!!

Que vergonha!!! 

Sinto muito pelo meu país. Ah... segundo o PT e a esquerda, esse meu sentir, não é meu, não é nosso. Não é da nossa natureza, pensar sentir ou expressar. Apenas reagir, feito gado, ao que nos é imposto por eles. E ai daqueles que ousarem discordar!!!

A Democracia que essa gente defende é a obrigação de pensar e concordar sempre com eles!!! Democracia??? Onde???

A verdade é que essas falácias e censura às redes sociais, representam a agonia e o fim de um sistema exaurido. A apuração do resultado no segundo turno colocará uma lápide sobre esse partido que tanto mal causou ao país. Espera-se!!!

Talvez a maior contribuição da Lava Jato até aqui, além, é claro, de enquadrar vários dos criminosos que saquearam os cofres públicos e de recuperar uma parte do dinheiro que foi rapinado da Saúde, Educação, Segurança... tenha sido a de dar uma nova consciência política ao povo. A certeza daquilo que não queremos. E o que não queremos é continuar a ser governados por políticos corruptos, que acabam enlameando e desacreditando a classe política, ameaçando as Instituições e enriquecendo a custas do sofrimento da população.

Essa gente que está no Whatsapp e nas redes sociais fazendo campanha para um candidato, não é remunerada por isso. Não faz parte de uma organização criminosa. São pessoas indignadas, cansadas, raivosas e revoltadas diante da corrupção e dos desmandos que assolaram e quase arruinaram o país. Algo que tem surpreendido aqueles que sempre pagaram, e pagaram caro - de blogs sujos à imprensa escrita e falada - para impor suas vontades e supremacia.

Como isso é possível??? Como tantos podem estar falando a mesma língua nas redes sociais???, atônitos se perguntam.

Há décadas o lulopetismo construiu uma Torre de Babel em torno de um falso mito, para que os brasileiros não se entendessem. No caos é que governos como o do PT triunfam e sempre triunfaram. A intolerância e a divisão não são nossas, foram fomentadas.

É bíblico. Em Gênesis, as Escrituras relatam que tão ou mais forte que o Dilúvio, é a união do homem em torno de um mesmo propósito ou objetivo. Para afastar uns dos outros e confundi-los, basta destruir-lhes a comunicação, a linguagem.

Foi assim que a esquerda nos afastou e separou. Por meio de um discurso desagregador: “nós” x “eles”, ricos x pobres, empregador x trabalhadores, elite x proletariado, coxinhas x mortadelas.

Levantando muralhas de ódio, eles subiram e garantiram o poder por mais de uma década e planejavam perpetuar-se por mais e mais décadas. Fingindo uma solidariedade e empatia que nunca sentiram. Fazendo promessas vazias. Usando o Estado para produzir desemprego e penúria. Dilacerando a educação e o conhecimento para embotar mentes, cegar juízos, e assim continuar reinando.

Os brasileiros encontraram nas redes sociais uma forma de aproximar-se e de resgatar a comunicação. De partilhar a amargura e a frustração por ver este país gigante agonizar diante dos desmandos e da cobiça.

Ideias e sentimentos aprisionados por décadas encontraram vazão, de forma passional, intensa, da política... até o infortúnio...

No entanto, essas pessoas não estão vendo o óbvio: o que faz com que o PT ainda respire, é a dicotomia, a rivalidade entre “nós” e “eles”, que transforma o legítimo desejo por mudanças na política, num aguerrido cabo de força, permitindo que o seu contrário cresça e se fortaleça. Enquanto houver um abismo nos separando, lideranças velhacas e carcomidas continuarão a insuflar, tentando acender o fogo da discórdia para escapar da putrefação... ou ascender como a única salvação.

Estamos vivendo e iniciando um novo ciclo. A anterior República pereceu. Isso ficou muito claro no resultado das urnas e na renovação havida no Senado, Câmara dos Deputados e Assembleias Legislativas para os próximos anos. As redes sociais foram decisivas nesta eleição. Vimos o surgimento de uma nova forma de se falar e debater sobre Política. Portanto, é chegado o momento de cobrar do futuro Presidente eleito, com a mesma paixão, as Reformas, os Ajustes, o corte de privilégios, a redução do Estado, de Ministérios e de partidos, tão necessários para o bom funcionamento do país. Porque disso muito pouco se sabe até aqui.

A motivação da maioria do eleitorado e da movimentação nas redes sociais é impulsionada para que o maniqueísmo lulopetista seja extirpado, e não por uma demonstração de apreço ou de apoio ao candidato de direita, mesmo que isso represente dar um salto para o incerto.

Aonde isso nos levará... só o tempo dirá... Mas, uma coisa é certa: após esta eleição, não mais seremos os mesmos.





Shadow/Mariasun Montañés


Licença Creative CommonsAS TEMIDAS REDES SOCIAIS NA ELEIÇÃO DE 2018 de MARIASUN MONTAÑÉS está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.



sábado, 22 de setembro de 2018





AS FORÇAS QUE TRANSFORMARAM O BRASIL NO LEVIATÃ DO SÉCULO XXI




Estamos a duas semanas da eleição para a Presidência da República, Governo dos Estados, Congresso Nacional e Assembleias Legislativas, que irá traçar os rumos de um país aniquilado pelos desmandos do (des)Governo lulopetista. Foram 14 (quatorze) anos saqueando os cofres públicos, dilapidando estatais e o BNDES custeando o Foro de São Paulo e as ditaduras latinas e africanas.

Para sustentar essa política de assalto, a maior da História Contemporânea do Mundo, seu líder criou uma seita de seguidores, uma onda vermelha, alimentada com pão e mortadela, fomentando a divisão entre o “nós” e “eles”. Pronto. Iniciada estava a guerra entre os “mortadelas” e os “coxinhas”. Uma espécie do bem contra o mal e de idolatria a Luís Inácio da Silva, o Lula, o Don Corleone tupiniquim, “il capo” mais perverso e corrupto que já passou por este país. Por meio de um discurso populista mais que ultrapassado nos dias de hoje, voltado para a luta de classes entre explorador x explorado, burguesia x proletariado, impôs um verdadeiro massacre ao país. Não satisfeito, ainda desferiu o golpe mortal ao colocar Dilma Rousseff no seu lugar.

Um país rico na diversidade de sua gente e belo por suas belezas naturais de norte a sul, recebeu como legado lulista um povo dividido pela irracionalidade e corrupção.

E o pior: quando revelada a farsa do “grande líder”, que de grande só teve - e tem - a ambição e obsessão pelo poder, sua militância ainda continua crendo que ele “não sabia de nada” e que o impeachment da mais incompetente Presidente que o país já teve, foi golpe ou "górpi"; apesar dos bilionários esquemas de corrupção, das delações, fotos, documentos, planilhas, e-mails e provas de toda ordem. Oi?!?

Diante disso, o inconformismo e a revolta se instalou em boa parcela da população. Um sentimento cada vez mais crescente - feito uma onda espumando em fúria - surgiu, à medida que outro líder com um poderoso discurso armamentista, inflexível e populista, ganhava as redes sociais. Jair Bolsonaro, o defensor da política do “todos contra todos”, “olho por olho”, “dente por dente”, onde a prevalecer, terminaremos cegos ou desdentados ou cegos e sem dentes.

“O homem é o lobo do homem”, escreveu Thomas Hobbes em Leviatã, no século XVII. Não há frase mais adequada para expressar com precisão os dias que antecedem a eleição que se aproxima.

Leviatã, o monstro ou demônio apocalíptico que assolaria o mundo no final dos tempos. Visto por Hobbes como a decadência do homem e da sociedade, onde não há inocentes e todos são corruptíveis. A idéia da bestialidade incorporada ao Estado, por meio de um pacto através do qual os indivíduos transferem poder à criatura bestial, para representá-los e agir em seu nome.

Seguindo nessa linha, Luis Inácio Lula da Silva hoje é um monstro encarcerado pelos crimes cometidos contra um país. Que permaneça lá é o que desejamos!!! Jair Bolsonaro, por sua vez, é um monstro em crescimento, sendo alimentado por muitos. Tão radical e extremista quanto o outro. Tão medíocre na atividade parlamentar que exerceu por trinta anos, quanto o outro o foi. Cercado por uma turba de seguidores hostil, violenta, intolerante e truculenta, tanto quanto a militância vermelha, alimentada não mais com pão e mortadela, mas pelo ódio. Alimento muito mais combustível, diga-se. Fico a imaginar essa gente com uma arma nas mãos...

Esperamos ansiosos pelo ano de 2018, confiantes nas mudanças que o voto de cada um poderia provocar nos rumos da Nação... No entanto, passada a ressaca da virada do ano, não há motivos para comemorar.

Comecei várias vezes a escrever esta postagem. Parei. Voltei. Rascunhei. Deletei. Não conseguia sair do primeiro parágrafo. Sentia um enorme desconforto na ponta dos dedos, que não me fazia avançar.

Expor a própria opinião sobre política e os políticos - hoje - é estar sujeito a levar pedradas e perder amigos, ser atacado no Twitter por pessoas que a gente sequer conhece, direcionadas até você para esse fim. Aí, então, opta-se por evitar tocar no assunto no Facebook para não melindrar quem se gosta e... por mais diplomático que alguém seja, dar block no Twitter à turba mal educada e ensandecida que por ali aparece e se sentir bem ao fazer isso.

Impressiona ver como aprendemos tão pouco com a nossa História. Já tivemos Fernando Collor “o caçador de marajás”, Lula “o pai dos pobres” e, agora, Jair Bolsonaro “o messias salvador”.

Seitas, seguidores, militantes, surgiram ao redor deles para venerá-los, como se o D-us imaculado fossem. Collor sofreu o impeachment. Lula está na cadeia. E Bolsonaro... só o tempo dirá.. Há que diga que ele é o “messias” reencarnado, cujos sinais seriam ter Messias no nome e haver sobrevivido a um ataque com faca. Outros afirmam que as Profecias de Nostradamus previram seu surgimento e ascensão. Pelamor!!!

Por que as pessoas necessitam tanto de ídolos, divindades, que com o passar do tempo acabam se mostrando ser de barro?!? Estamos tão carentes de referências assim?!?

Atribuir falhas ou atos ilícitos ao D-us Bolsonaro, agora é visto como crime de “lesa majestade”. Ter uma funcionária fantasma paga com dinheiro da Câmara por anos, não é crime de improbidade? Ter imóvel próprio e receber auxílio-moradia, é honesto? Ser agressivo e humilhar as mulheres, sejam parlamentares ou jornalistas, é aceitável? Empregar no Estado ex-mulher e parentes, não é nepotismo?

Como se pretende reerguer um país a partir da irracionalidade, mistificação, ignorância, ódio e intransigência?!?

Como há quem compre a ideia do voto útil no primeiro turno?!?

A realidade está sendo deturpada pelos coordenadores da campanha de um candidato que quer se eleger no primeiro turno. Vão entrar nessa onda?!? Vão aceitar as ameaças e o terrorismo que esse candidato está fazendo nas redes sociais, coagindo a todos com a volta do PT ao poder???

Pensem. Raciocinem. Vocês estão sendo induzidos e manipulados por um candidato, pelas pesquisas, pela mídia!!!

A Constituição de 1988 previu a realização do segundo turno, justamente para que não houvesse a polarização e o voto útil no primeiro.

O voto de vocês será motivado pelo medo?!? Pelo receio da volta do monstro do passado??? E as suas convicções??? E aquilo em que vocês acreditam??? Não estão vendo o monstro do futuro???

Acorde meu povo!!! Se for para direcionar o voto útil, o faça na direção daquele que representa os seus ideais ou está mais próximo deles. A Democracia não convive com o extremismo. Pelo contrário, diante do radicalismo, os princípios democráticos sucumbem. Diante da intolerância, a liberdade de expressão é tolhida, como já estamos vendo acontecer nas redes sociais.

Como podem entregar seu voto cegamente, sem pensar, sem avaliar, apenas por medo, sendo que há outras opções???

Somos uma parcela considerável de brasileiros que crê na união e no país como um todo. Sem isso, não caminharemos como Nação. Veremos uns aos outros como oponentes, separados pelo “nós” x “eles”. Sempre haverá um abismo a ser superado.

Quem diz que não governará com outros partidos, está mentindo!!!

Sem o Congresso Nacional o Presidente não governa!!! O Brasil para sair do atoleiro em que está há mais de uma década, necessita de Reformas e Ajustes urgentes, nada doces ou populares. É preciso que quem ocupe o cargo, tenha liderança, conheça o que está fazendo e saiba negociar com os parlamentares. Sorry, mas só consigo ver Bolsonaro governando por meio da reedição de um novo AI-5.

Não tenho a pretensão de mudar ou induzir o voto de ninguém. Penso que cada um é responsável pelo seu céu ou inferno. Também não sou formadora de opinião. Meu blog é pequeno e modesto. É mais um diário, onde deixo pensamentos, histórias e acontecimentos para o amanhã e #Victorler. Mas, não posso deixar de registrar, que a melhor opção para o país, neste momento, é Geraldo Alckmin. Isso sem desmerecer Álvaro Dias, o veterano e correto parlamentar do Paraná, e, João Amoêdo, um político em ascensão.

No entanto, Alckmin os supera por sua vasta experiência no Executivo. E este país tão maltratado, não tem tempo para ensaios ou amadores, necessita ter à frente alguém que saiba fazer, porque já fez. Afinal, ninguém se reelege por quatro mandatos para Governar um Estado gigante, complexo, espinhoso e diversificado como São Paulo, se não souber Administrar e tiver a aprovação da população. E eita povo exigente que é o paulista!!! 

Além do mais, o ex-Governador de São Paulo é agregador e um excelente negociador, tanto que trouxe para ser sua vice Ana Amélia. Eleita a melhor Senadora de todos os tempos. Combativa, atuante e tenaz defensora da Lava Jato. Uma grande e admirável mulher!!!

Sim minha gente, é preciso pensar nos vices dos candidatos. Porque eles também nos representam. E têm tido protagonismo desde a eleição de Tancredo Neves. Basta lembrar de José Sarney, Itamar Franco e Michel Temer.

Alckmin e Ana Amélia são dois políticos fortes e moderados, que conhecem e sabem fazer política. Seriam reconhecidos, valorados e respeitados em qualquer país democrático, embora neste país - que despreza a meritocracia - haja ainda quem prefira o sofrível ex-prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, e a hiponga Manoela D’Ávila ou Jair Bolsonaro - que por oito anos votou com o PT e contra as principais Reformas modernizantes: Plano Real que estabilizou a moeda, Reforma da Previdência, fim do Monopólio Estatal do Petróleo e das Telecomunicações, Lei da Responsabilidade Fiscal, ao tempo em que apoiou benefícios aos servidores, isenções fiscais a setores específicos e medidas que elevaram os gastos públicos - e, o seu vice, General Mourão, este um homem culto por formação, mas com visão e conceitos rígidos e ultrapassados de mundo e da política, como já demonstrou.

O Brasil necessita de quem o projete no século XXI com uma Proposta de gestão moderna e arrojada.

Pensem... apenas pensem antes de criar e ter que lidar lá na frente com mais um monstro... Por você, por mim, por todos e pelo nosso país!!!

Finalizo com um vídeo: A ONDA. Uma história real ocorrida em 1967. Um professor reproduz em sala de aula um ensaio sobre o autoritarismo e extremismo. Uma experiência que marcou a todos e deixou lições até os dias de hoje.





 Shadow/Mariasun Montañés 



Licença Creative CommonsAS FORÇAS QUE TRANSFORMARAM O BRASIL NO LEVIATÃ DO SÉCULO XXI de MARIASUN MONTAÑÉS está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...