sexta-feira, 10 de agosto de 2012



AS OLIMPÍADAS DO AMOR ENTRE UM PAI E UM FILHO



Em meio a tantos atletas, torneios e Olimpíadas, um homem teve uma missão maior.

Assim começa a história de Dick Hoyt pai de três filhos e de Rick, seu filho mais velho. Este teve falta de oxigenação no cérebro quando nasceu, o que lhe causou danos irreversíveis. Rick nunca poderia falar nem controlar os movimentos de braços e pernas.

À medida que ele crescia, ninguém sabia ou sequer imaginava o quanto conseguiria absorver, entender ou apreender do mundo ao redor.


A única certeza era a de que seus pais queriam que o filho tivesse uma vida normal. Pensando nisso, foi desenvolvido para ele um sistema de comunicação: por meio de um computador e com o movimento lateral da cabeça - o único que consegue controlar - poderia escolher letras da tela e, assim, lentamente, ir escrevendo palavras. Dick matriculou Rick numa escola pública, ali ele aprendeu a escrever, podendo assim expressar seus sentimentos e pensamentos.

Aos 12 anos, suas primeiras palavras foram: "Go, Bruins", uma frase de incentivo ao Boston Bruins, seu time de hóquei favorito.

Três anos depois, foi organizada uma corrida a fim de arrecadar fundos para o tratamento de um colega da escola, que após sofrer um acidente ficou paralítico. Rick pediu ao pai para participar; Dick, mesmo sem ser um atleta, acabou atendendo ao desejo do filho. Pai e filho largaram no meio da galera com Dick empurrando a cadeira de rodas do filho, foi assim que os dois completaram a prova chegando quase em último, mas não em último. Ao cruzar a linha de chegada, Rick tinha um sorriso vitorioso no rosto. Pela primeira vez na vida, não sentia as limitações de seu corpo.

Pouco depois, por meio do computador, disse: "Pai, durante a corrida senti como se a minha deficiência tivesse desaparecido".

Motivado por isso, Dick começou a treinar com afinco, e eles resolveram participar de outras provas. Um ano depois, participaram da primeira maratona; cinco anos mais tarde, veio a idéia do triatlon.

Juntos começaram a correr, a correr e a correr,....

Do jeito deles, pai e filho enfrentaram os mais incríveis desafios. Juntos competiram em maratonas, juntos competiram em triatlons, juntos formaram um duo e uma equipe fantástica.

A partir daí nada mais foi capaz de detê-los, nem o pior dos desafios: o Iron Man, no Havaí, o mais duro dos triatlos! São 3,8 mil metros de natação, 180 quilômetros de ciclismo e uma maratona inteira ao final, ao todo 42,195 quilômetros de corrida em mais de 13 horas de um esforço sobre-humano.

Ao todo participaram de seis edições do Iron Man, 66 maratonas e competições de diversos tipos. Pai e filho completaram 975 provas juntos! Jamais abandonaram uma prova sequer e nunca chegaram em último lugar. Eles se orgulham em dizer: “Chegamos perto do último, mas nunca em último”. Sempre com o mesmo final apoteótico: público comovido vibrando, braços abertos e aquele mesmo sorriso vitorioso na linha de chegada.

Dick aos 52 anos, empurrando Rick, conseguiu a incrível marca de 2h40m na Maratona de Boston, pouco mais de meia hora acima do recorde mundial. Tempo excelente para um amador, impressionante para uma pessoa de sua idade e inacreditável para quem corria empurrando uma cadeira de rodas.

Rick nunca teria competido se não fosse seu pai, assim como, Dick nunca teria competido se não fosse seu filho. Juntos, correndo, Dick era o corpo e Rick o coração!

Atualmente, Rick tem 50 anos. Com o movimento da cabeça, escreve no computador frases que são reproduzidas em um sintetizador de voz. Formou-se em Educação Especial na Universidade de Boston. Não mora mais com os pais. Mora sozinho e recebe a ajuda de pessoas contratadas para dar-lhe assistência.

É uma pessoa feliz e realizada. Provavelmente, mais feliz e realizada do que 95% da população, afirma o pai, Dick Hoyt; o super pai, que aos 72 anos continua impressionando pelo vigor físico.

Quando perguntam ao Rick o que mais ele gostaria fazer, responde que gostaria de, ao menos uma vez, poder empurrar seu pai na cadeira de rodas com as próprias forças.

Ambos ficaram conhecidos como “Team Hoyt” – o time Hoyt, a equipe Hoyt. Pai e filho, inseparáveis. Richard Eugene Hoyt e Richard Eugene Hoyt Junior, uma mensagem viva para o mundo:

" Yes, you can! " ..... " Sim, você pode! "




"Sábio é o pai que conhece o próprio filho".
(William Shakespeare)



Shadow/Mariasun





Licença Creative CommonsO trabalho AS OLIMPÍADAS DO AMOR ENTRE UM PAI E UM FILHO de MARIASUN MONTAÑÉS foi licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição - NãoComercial - SemDerivados 3.0 Não Adaptada.




Seja solidário. Faça a sua doação.
Ajude a dar esperança e a mudar a história de milhares de crianças e jovens brasileiros.


ou

Pelo telefone, para cada valor existe um número diferente:

0500 2012 007 para doar R$ 7,00
0500 2012 020 para doar R$ 20,00
0500 2012 040 para doar R$ 40,00


Não resolvi ainda os problemas no sistema de comentários. Devo substituí-lo por outro, tentei mas não consegui. Necessito fazê-lo quando tiver tempo, Física Quântica é moleza perto disso, rsss, qualquer erro na codificação e puf! o blog já era. Portanto, observações ou comentários continuam a ser feitos pelo email: cantinhodashadow@hotmail.com. Kisses!


Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...