quarta-feira, 19 de agosto de 2009





O POLVO E A POLVA



Esta é uma história sobre a sempre difícil arte de amar. Nem triste nem alegre, nem apelativa nem morna. Divertida? Talvez. Humana? Sem dúvida!

Não se deixem enganar pela aparência das duas criaturinhas que verão a seguir, lembrem que por trás delas há um coração pulsando! Olhem com ternura para aqueles olhinhos grandes e meigos e para a intensidade de seu amor. Apaixonem-se e torçam por elas!!



Moral da História:

Quem é que nunca amou? Não sofreu por amor? Enfrentou obstáculos para a realização de um amor? E já não fez loucuras de amor? Quem, hein? A história de hoje fala exatamente disso, e deixa no ar uma questão:

O que você é capaz de fazer, ou não, por amor?

Aliás, qual seria o seu final, para a história que acabou de ver?


Shadow/Mariasun



26 comentários:

Vani disse...

Não me atrevo a pensar em um final, fiquei muito envolvida, estou vivendo essa história.

Nadine disse...

É óbvio que a Polva se lança alucinadamente na direção do pelicano até atingí-lo, soltando o seu amado com o choque, caindo junto com ele nas águas do Mediterrâneo, para assim concretizar sua história de amor, ai, ai (são suspiros).

Renata disse...

A Polva cai na real, percebe que não tem asas, lembra que aquele não é o único Polvo do mundo, e resolve ficar com os pés no chão, digo tentáculos, em busca de um amor menos complicado. Foi o que eu fiz, só que no meu caso foi uma piranha que o atacou não um pássaro.

RENATA PAN disse...

Só tu mesmo xará pra comparar esse polvo fofíssimo com aquele traste, tenha dó.

RENATA PAN disse...

Ah, eu lutaria até o último suspiro pelo meu grande amor.

rintin disse...

Esse pássaro é treinado e trabalha num restaurante especializado no prato arroz com polvo. Não vou entrar em detalhes, só posso dizer que ele era muito apetitoso. Fui.

Vani disse...

Apetitoso? como vc pode imaginar aquele polvo tão lindinho num prato de arroz? O que tá havendo? vc não era assim.

RENATA PAN disse...

Rintin, com essa falta de romantismo vai ser difícil arrumar uma namorada.

rintin disse...

O final é meu e eu faço com o polvo o que eu quero. E também não penso nesse lance de namorada, porque não tenho idade pra isso. Fui.

Shadow disse...

Vejo que se divertiram com as desventuras do Polvo e da Polva. Fiquei impressionada com a criatividade. Amei.

Beijos

RENATA PAN disse...

Sun não pense que vai sair assim à francesa, eu gostaria de saber qual seria o seu final para a história. Bjs

A Itinerante - Neiva disse...

Shadow,

Amei este vídeo. Criatividade e sensibilidade mil. rsrs

Olha, estou com a cabeça mergulhada em meu romance e como ambos estão em lua de mel em alto mar, o final da estória é que polvo e polva, caem no barco de Adriel e Maise e os quatro viverão felizes para sempre. kkkk

Beijos!

Mamis disse...

o pássaro leva um tiro e os dois caem no mar. Quem atirou nos pássaros foi o Jack Bauer!

Shadow disse...

Ok, lá vai então,
A Polva se lança desesperada e alucinadamente na direção do pelicano, saliente-se treinado em Marte pela mesma equipe de Jack Bauer, e que trabalha para o Restaurante Grego, cujo prato principal é arroz com polvo (muito apreciado por sinal).
Como é Dia de Festa (os gregos adoram uma festa e quebrar pratos), ouve-se um tiro, o pelicano se assusta, e num reflexo acaba soltando o Polvo, enquanto a Polva passa em velocidade pelo pelicano (ainda atordoado), até que a força da gravidade a faz cair.
Lá de cima vê, com olhos esbugalhados, seu amado precipitar-se em direção a um navio, quando percebe que ela também está despencando rapidamente.
No convés estão Adriel e Maise apreciando as belas águas azuis do Mar Mediterrâneo, quando veem a sombra de um pássaro, que parece arremesar-se sobre eles. Será um pássaro mesmo?
Não, é um polvo, o Polvo da Polva, que fica dependurado no trampolim, para perplexidade de Adriel e Maise, e que apesar de desorientado, continua à procura de sua amada. Enquanto isso, a estibordo a Polva cai sobre a âncora, mal conseguindo agarrar-se a ela. Adriel compadecendo-se da situação (com seu coração de Anjo), aproxima-se para ajudá-la, quando uma violenta onda precipita-se sobre o navio, arrastando a Polva para bem longe, sendo que ficaria perdida para sempre, não fosse a presteza, agilidade e coragem do Polvo, que se lançou ao mar, para nadar com todas as suas forças na mesma direção.
Já juntos, os dois se abraçaram terna e longamente, quando das profundezas, lenta e sorrateiramente viram surgir daquelas águas, um enorme tubarão branco...que acabou passando calmamente por eles, já que estava bem alimentado.
De forma que, pressentindo ser isso um sinal de sorte enviado pelos deuses, os dois resolveram construir seu ninho de amor por ali mesmo, na maravilhosa e magnífica Ilha de Mikonos. E assim viverem felizes para sempre. Fim.

A Itinerante - Neiva disse...

Ôcha, mas que amor trabalhoso destes dois! Coitados. Pensei que não teriam paz e seriam devorados pelo tubarão branco. kkkkkkkkk

Shadow, você é ótima!!! Adorei. Rindo até agora.

Beijos

Mamis disse...

Shadow,


fantástico o final coletivo!

Eu sabia que Adriel e Maise tinham alguma coisa com isso, kkkk.

Ah, Jack Bauer é muito bom mesmo, até em marte! Só ele para resolver mais este caso, kkkkkkk

bjs

Índia disse...

Lindo o video!

Isso que eh amor! Sofrido, batalhado, e finalmente (acho), um final feliz.

Beijossssssss

PS: Obrigada pelo link, o seu tb já está lá.

RENATA PAN disse...

Ai, vc me deixou angustiada, também achei que o destino deles seria acabar na boca do tubarão. Não faz mais isso não, sua horrorosa. Vou sair pra tomar um copo com açúcar.

Vani disse...

ah, que bom seria se apesar das idas e vindas, pudéssemos terminar nas ilhas gregas, felizes para sempre...

Renata disse...

Eu já falei que o que começa errado, acaba desandando mais cedo ou mais tarde. Esse polvinho é fria, o tubarão branco tá dando só um tempo, melhor seria ela partir pra outra. Imagina os polvos gregos que deve ter por lá, verdadeiros deuses!

Nadine disse...

Renata, deixa de pessimismo! Eles vão é viver muito felizes. Aliás, quem não seria feliz tendo aos pés o Mediterrâneo e no alto da colina os deuses?

rintin disse...

Eu aposto no tubarão branco, pode ter escapado do caldeirão de água fervendo, mas não do tubarão. Fui

Shadow disse...

Pessoas, li os comments de vocês,
O que posso dizer?

Renata Pan,
Já tomou seu copo de água com açúcar? Está melhor?

Vani,
Não é preciso ir às Ilhas Gregas em busca da felicidade, pra que ir tão longe? Ela é construída aos pouquinhos. E quando a gente pára pra pensar nela, já é um sinal que estamos no caminho certo, para mudar o que precisa ser mudado.

Renata,
Há relações que são complicadas sim, com o tempo a gente aprende se vale o investimento ou não. Por outro lado, como não existe a perfeição, acho que o grande segredo é aprender a lidar com as diferenças, e é possível haver finais felizes, sim. Quanto aos gregos, sem comentários, eles são deuses mesmo, até na forma de polvo, hehehe!

Nadine,
A Renata é chorona mesmo, e no fundo ela se diverte com isso, com esse jeitinho consegue dobrar do mundo. Nem me fale do Mediterrâneo, aquilo é o paraíso na terra! Quando vierem aqui amanhã, terão uma surpresa para iluminar o final de semana de vocês. Não deixem de vir!

Rintin,
Acho que você anda jogando muito vídeo game e aniquilando muitos polvos por aí, rsss. Fui.

Beijos

Vani disse...

Valeu Sú. Eu sei ler nas entrelinhas, viu? Te gosto. Amanhã eu volto.

A Itinerante - Neiva disse...

Oi,

Passando para dizer um oi.

Estou com uma nova estória na cabeça, fervilhando. rsrs

Parece que o bichinho me picou mesmo! kkk

Mas desta você vai gostar, tenho certeza. :DD

Beijos!!!

Nadine disse...

Quero só ver o que está preparando para amanhã. Marcarei o cartão de ponto aqui com certeza. Bjs

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...