sábado, 30 de março de 2013




UMA PÁSCOA PARA RELEMBRAR


Desde sábado passado Dudu não dormia, tamanha era a ansiedade pela chegada do Tio do Zuzu do Rio de Janeiro. Era só folia, alegria e expectativa. Mais um ano que ele deixará a Cidade Maravilhosa para passar a Páscoa em São Paulo com os sobrinhos e sobrinhos-netos.
Todos os anos a Páscoa é uma festa pra eles, a Missa da Ressureição no domingo, a bacalhoada no almoço, a caça aos ovos de chocolate escondidos... ano após ano, a diversão e as surpresas são sempre garantidas. Os bons momentos e as brincadeiras da comemoração acabam indo parar no álbum de família cuidadosamente montado e guardado pela Leninha ou adicionados ao Facebook por cada um.
Páscoa, a velha festa da Ressurreição de Cristo, antigamente era coisa séria, costuma dizer o Tio Zuzu. Nas lembranças mais marcantes de sua meninice está a procissão ao Santíssimo em São Pedro, que ao cair da tarde percorria as ruas e vielas da cidade, com as mulheres carregando flores e entoando hinos de louvor, o roxo dos ornamentos e adereços convidando à contemplação, as crianças vestidas de branco, pulando pra lá e pra cá, porque quando se é criança tudo é motivo pra brincadeira. Época de jejum, era proibido comer carne naquela semana, bom, isso não era muito difícil, uma vez que na casa do Zuzinho, como os amigos carinhosamente o chamavam, carne era artigo de luxo.
Hoje é diferente. Páscoa é domingo, é fim de Semana Santa, pra muitos um feriado de três dias, para o qual a única preparação é a da viagem pra praia. A Páscoa, simbolizada pelos ovos de chocolate, é a celebração inconsciente de um tempo que não existe mais, tempo em que se acreditava em um Cristo ressuscitado.

Tio Zuzu anda um tanto cansado desse vazio, onde ninguém sabe direito o que está sendo celebrado, e acredita, serem bem poucos aqueles que ainda  fazem alguma celebração.
Adélia Prado escreveu: "De vez em quando Deus me castiga, me tira a poesia. Olho uma pedra e vejo uma pedra...". Tem gente que fala da Páscoa e só vê ovos de chocolate. Pensam na Ressureição como algo que aconteceu há muito tempo, num lugar distante; e, pensam com ceticismo: - Impossível. Mortos não ressuscitam e nem ressuscitarão!
Perdido nesses pensamentos, Tio Zuzu chegou na casa do Dudu. O menino veio recebê-lo aos pulos:
- Então Tio, vamos ao shopping comprar os ovos. O meu tem que ser maior que o da Bia, até porque eu sou mais grande que ela!!
Após, trocar umas palavras com o pai do Dudu, os dois foram até o shopping. Antes pararam para comer um lanche e tomar um refresco, e conversar:
- Dudu a Páscoa pra você é feita só de ovos de chocolate?
- Tio, o meu professor de Religião explicou pra gente que é a Ressurreição de Nosso Senhor, isso é muito maneiro, porque lá no meu videogame tem que ter muitos pontos pra recuperar uma vida, então o Nosso Senhor deve ter sido um bom jogador e acumulado muitos créditos durante os 33 anos de vida dele pra conseguir isso, não acha?
Tio Zuzu tentava processar tão inesperada resposta, enquanto pensava quando foi que Paixão, Morte e Ressureição foram parar num jogo de videogame:
- Na verdade seu professor quis falar de perdão, libertação e da  demonstração do grande amor de Deus para com os homens.
- Eu sei Tio, tava só zoando com o senhor, respondeu um sorridente Dudu.
Terminado o lanche foram até o Paraíso dos Chocolates, uma infinidade de ovos coloridos de todos os tamanhos aguardava por eles.
Saíram da loja com várias sacolas e caixas de chocolate. Na sacolinha do Dudu, o ovo crocante de 500g tão sonhado e esperado e, ainda de brinde, alguns bombons.
Pegaram o carro no estacionamento. Ao pararem num semáforo da Avenida Paulista, aproximou-se da janela do motorista um menininho, sandália de dedo e roupa bem surrada:
- Moço tem um trocado?
Enquanto Tio Zuzu pegava algumas moedas, Dudu retirou um bombom da sacola e o entregou ao menininho, que imediatamente retribuiu o gesto com um largo sorriso. Quando o carro se preparava pra partir, Dudu percebeu que havia mais duas crianças com aquele menino, e que o bombom rapidamente desembrulhado começava a ser partilhado entre eles.
- Encosta o carro tio! disse Dudu.
Mal ele estacionara, Dudu desceu correndo do carro e entregou a sacolinha com o seu ovo de Páscoa e os bombons para aquelas crianças. Um atônito e emocionado Tio Zuzu, ainda pode ouvir Dudu dizer:
- Feliz Páscoa pra vocês!
Quando Dudu entrou no carro Tio Zuzu entre lágrimas o abraçou, e nesse instante percebeu que haviam acabado de celebrar a Páscoa.




E o que é a Páscoa? A Páscoa é amor!!
FELIZ PÁSCOA!!!

Shadow/Mariasun



Licença Creative CommonsO trabalho UMA PÁSCOA PARA RELEMBRAR de MARIASUN MONTAÑÉS foi licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada.


Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...