quinta-feira, 16 de outubro de 2014



AS INVERDADES DE DILMA ROUSSEFF NO DEBATE DA BAND




Mais uma vez, na noite desta terça-feira, os brasileiros pararam diante da televisão para ver o primeiro debate do segundo turno dos presidenciáveis, Aécio Neves e Dilma Rousseff.

Segundo o Ibope foi a maior audiência do horário, muito embora, a credibilidade nos dados do Instituto não ande lá essas coisas ultimamente, há de se reconhecer que as pessoas hoje estão mais participativas e interessadas nos rumos políticos do país. Ainda bem!

Sobre a estrutura do debate, creio que uma emissora de televisão deveria fazê-lo com total isenção, para não se parecer com aquele comentarista que ao narrar o jogo de futebol, acaba sendo mais um torcedor. Imparcialidade no jornalismo é tudo.

E nesse quesito a Band pecou feio, ao veicular nos intervalos comerciais do debate, a propaganda eleitoral petista atacando o adversário, isso três vezes e em sequência, sem a devida incursão da propaganda do Aécio. Coisa feia, Johnny Saad!

Quanto ao debate em si, os petistas, assim como Mussolini e Stalin fizeram no passado, tentam reescrever a história, mentindo e falseando fatos e dados. Pena! A candidatura de Dilma está embasada numa grande farsa e mentira. Atente-se que o que está em jogo não é apenas a reeleição, mas a manutenção de uma quadrilha no poder.

A lição de casa, sob orientação de João Santana, foi bem assimilada: “Companheira Diilma, lembre-se do seguinte: uma mentira repetida à exaustão, com o tempo, passa a ser uma verdade. Vamos convencer a todos, que nós descobrimos o Brasil. - Péra lá João, não foi o Cabral?, - Não companheira, foi o Lula. Confie. O povo vai acreditar. É só você continuar repetindo isso, sem titubear.”

Sem as perguntas dos jornalistas, diga-se, condição imposta pelo PT para participar dos debates neste turno, ficou fácil seguir a cartilha do marqueteiro. Os candidatos travaram um embate em que fatos e números inverídicos e virulentos apresentados por Dilma, foram contestados por Aécio; porém, para aquelas pessoas que vivem nos rincões e em lugares mais distantes, com dificuldade de acesso à informação e à internet, tudo ficou embaçado e confuso.

Em quem acreditar afinal? Claro está que a aposta do PT é beneficiar-se com essa dúvida, até para livrar a companheira do constrangimento de ter que responder a perguntas sobre os recentes escândalos e a malversação do dinheiro público. 

Isso não passou despercebido ao Aécio: Me parece que nós temos dois candidatos de oposição, parece que a senhora não governou nos últimos quatro anos (Aécio dizendo que Dilma propõe mudanças e projetos que não foram feitos até agora, como se não fosse a atual presidente). Ahahaha... na mosca! Dilma esqueceu que o PT é situação há 12 anos. Ora, e vem falar em mudanças e projetos a partir do ano que vem?!? A pergunta que não quer calar: E por que já não os fez ou começa a fazê-los desde já?

Quem vê agora a sua proposta, acha que o senhor é o candidato da situação. Suas propostas sociais são a continuidade dos meus projetos (Dilma Rousseff, em resposta à provocação do Aécio). Não Dilma, as propostas do Aécio são a continuidade de projetos do PSDB, dos quais o PT se apropriou para tirar proveito eleitoral, diga-se, projetos duramente criticados pelo compadre Lula no passado. Para ele o Bolsa Alimentação, Bolsa Escola e o Vale Gás não passavam de esmola dada ao povo para “comprar a consciência do povo”.

Disse o Lula em 2000, sobre o Bolsa Família: “...antigamente, quando chovia, o povo logo corria para plantar o seu feijão, o seu milho, a sua macaxeira, porque ele sabia que ia colher, alguns meses depois. E, agora, tem gente que já não quer mais isso porque fica esperando o ‘vale-isso’, o ‘vale-aquilo’ ...”

É preciso ter boa memória quando se mente.

Se formos olhar a criação do Bolsa Família, o pai é o presidente Fernando Henrique e a mãe, Ruth Cardoso (Aécio Neves, dizendo que o principal programa social dos governos Lula e Dilma tem origem no governo de FHC). Tomaaaaa!!!

O senhor está fabulando, está criando uma história que não existe. (Dilma Rousseff, afirmando que o programa Bolsa Família não tem "nenhum parentesco" com os projetos sociais do PSDB). Oiiiii???? Fabulando???

Afinal, quem é o pai do Bolsa Família?, ficou se perguntando o pessoal do sofá.

O pai do Bolsa Família foi o FHC e a mãe, a inesquecível primeira-dama, Ruth Cardoso. Está registrado na história, e a história é algo que não pode ser alterado conforme os caprichos ou conveniências de uns e outros. Ocorre que o programa foi rebatizado pelo Lula. E daí? Mudou alguma coisa? Não. Da mesma forma que o Fusca não deixou de ser Fusca, só porque passou a ser chamado por alguns de Besouro. 

O Bolsa Família nada mais é do que a unificação de três programas de FHC feita por meio de uma Medida Provisória em 2003, posteriormente, convertida na Lei 10.836, de janeiro de 2004.

Os três programas eram: o Bolsa Escola (Lei n.° 10.219, 11 de abril de 2001, Programa Nacional de Renda Mínima vinculado à Educação); o Bolsa Alimentação (instituído pela Medida Provisória n.° 2.206-1, 6 de setembro de 2001, Programa Nacional de Renda Mínima vinculado à Saúde) e o Auxílio Gás (Decreto n.° 4.102, de 24 de janeiro de 2002). Sendo certo que a sua unificação, já havia sido pensada e iniciada em 2001 (Cadastramento Único do Governo Federal, instituído pelo Decreto n.° 3.877, 24 de julho de 2001). Esses programas atendiam, naquela época, a quase 6 milhões de famílias,  ou, em torno de 25 milhões de pessoas. Portanto, a mais de uma década, o PSDB assistia quase a metade do que o PT assiste hoje com programas sociais. A diferença é que, ao contrário do PT, o PSDB teve escrúpulos em não utilizá-los como bandeira na campanha eleitoral.

Isso não é novidade para o PT, e não deveria ser uma fabulação para Dilma, haja vista que no lançamento do Bolsa Família, Lula reconheceu e agradeceu a Marconi Perillo (governador de Goiás pelo PSDB), por tê-lo incentivado a unificar os programas que herdou de FHC, juntamente com o Plano Real e a estruturação do SUS. Aliás, foi mais fácil encampar os programas já existentes, do que implementar o Fome Zero, que nunca chegou a sair do papel. Este sim uma fabulação!

A propósito, foi totalmente dispensável e desnecessária a intervenção do mediador Ricardo Boechat, ao dizer que determinar se o Bolsa Família teve sua origem ou não nos programas sociais do governo FHC é uma questão de ponto de vista. Pelamor!!! Esqueceu que naquele momento era mediador do debate e não assessor de imprensa? Não, Boechat, não é questão de ponto de vista, mas de fatos, da história. E tem mais. Antes de mediar um debate ou até de fazer uma entrevista,  um jornalista necessita estar bem informado e ter conhecimento do que fala. Se não é melhor ficar de boca fechada.

"Vamos falar de Educação. Infelizmente, em todos os rankings internacionais, estamos na lanterna" (Aécio dizendo que Dilma deixou de investir na Educação).

“As ETECs e as FATECs do Estado de São Paulo são “programas experimentais”. (Dilma desfazendo das escolas profissionalizantes de ensino médio e superior do PSDB). Pelo visto ela não digeriu a derrota esmagadora do PT no primeiro turno em São Paulo, e resolveu menosprezar a boa qualidade de ensino do Estado, só pode!!!

Chamar as ETECS e FATECS de programas experimentais chega a ser um sacrilégio!!!

Há de se destacar que, São Paulo tem 217 ETCs atendendo a 221 mil alunos divididos em 132 cursos, e, 63 FATECs com 67 mil estudantes, 67 cursos e 63 faculdades, ressalve-se, todas custeadas com dinheiro do Estado, não há um centavo sequer do Governo Federal. Experimentais onde??? As ETECs e FATECs são reconhecidamente centros de alta qualificação, referência e desenvolvimento, não escolinhas meia boca com fins eleitoreiros. Cuidado Dilma, a ignorância e a mentira são péssimas conselheiras!

Aliás, vale lembrar que FHC - de 1998 a 2002 - aprovou 336 projetos de escolas técnicas; ao passo que no primeiro mês do governo Lula, em 2003, o PROEP (Programa de Expansão da Educação Profissional) foi interrompido, só retomado em 2006, às vésperas da eleição. Por que será?

Sempre é bom que se diga, que o PRONATEC, “a menina dos olhos” da Dilma, nada mais é que uma cópia fiel do PROTEC, programa que José Serra apresentou em 2010, por ocasião de sua candidatura, com inspiração nas FATECs e ETECs de São Paulo, que ela chama hoje de programas experimentais. Durma-se com esse barulho!!!

Diante disso, só há uma coisa a dizer:

Eu quero responder olhando nos seus olhos. A senhora está sendo leviana (Aécio Neves para Dilma). Tomaaaa!!!! Dilma afinal se calou, para a seguir, arrematar:

Candidato, eu proponho que a gente pare de discutir quem está mentindo (Dilma Rousseff, propondo que os dados que cada um cita durante o debate, sejam checados nas fontes oficiais). Então é melhor parar de mentir Dilma. É feio. Além do mais, é como diz o ditado popular: A mentira tem pernas curtas.  As fontes oficiais de fato comprovam que a senhora mente tanto que nem sente. Pega mal pra quem ainda ocupa o cargo de Presidente.

No frigir do ovos... opsss... ovos! Se quiser continuar comendo omelete por mais quatro anos, vote em Dilma! Ahahaha... 

Mas como eu ia dizendo, no frigir dos ovos, o PT nestes doze anos usufruiu da estrutura deixada pelo PSDB, tendo o Plano Real como viga mestra. Essa é a verdade. Era apenas ter competência para ir fazendo os ajustes e aprimorando os projetos conforme as necessidades. Mas sabe como é ... corrupção, desmandos, investimentos em portos de Cuba... deu no que deu... Acabou indo parar nas portas da Policia Federal e nas páginas policiais...

No íntimo o Lula, João Santana e a própria Dilma sabem disso. O Aécio e a gente sabe, que eles sabem....

Muitas vezes a senhora olha pra mim e enxerga o (ex-) presidente Fernando Henrique, me sinto muito honrado (Aécio Neves, sobre as citações de Dilma do governo de Fernando Henrique Cardoso). Ahahaha... impagável!

E o senhor esqueceu o governo FHC. O senhor indicou para ministro da Fazenda o ex-presidente do Banco Central que deixou duas vezes a inflação escapar da meta. O meu governo garantiu uma inflação controlada dentro dos limites da meta (Dilma Rousseff, respondendo o motivo de citar tantas vezes o governo de FHC). Dilma, a senhora já demonstrou ter uma grande dificuldade com números.

Caso ainda não saiba, a inflação medida nos últimos 12 meses está acima da meta estabelecida pelo seu governo. A alta acumulada do IPCA nos últimos 12 meses atingiu 6,75%, acima do teto da meta de inflação anunciada pelo Banco Central, que é de 6,5% ao ano. É o maior índice de inflação registrado desde outubro de 2011 (6,97%). Sempre vale lembrar que 13 menos 4 não é sete, é nove, viu! E quanto a FHC, é bom que se diga, que este ao assumir o governo recebeu a inflação em 916%, e que graças a sua política econômica, a Armínio Fraga na presidência do Banco Central e ao Plano Real, ela caiu para 7%. Uma proeza e tanto, não?

Candidata, tire os olhos do retrovisor, olhe para o futuro (Aécio Neves, criticando a disposição de Dilma em falar sobre o governo do PSDB).

Aécio, meu caro, sabe por que ela não tira os olhos do retrovisor? Porque tirá-los representa ter que mirar para a roubalheira da Petrobras e, lembrar que o dinheiro lavado foi especialmente para o caixa dois do PT. Representa ter que encarar que o Paulo Roberto Costa não foi demitido, mas se demitiu, tendo recebido os agradecimentos de Dilma pelos bons serviços prestados. Uma coisa há de se reconhecer, quando ele faz uma coisa, faz bem feita. Porque nunca houve uma ladroagem igual à da Petrobras. Ao menos, que até agora se saiba. A verdade é que a realidade derruba o PT, é por isso que ele condena a divulgação de parte do depoimento do ex-diretor da Petrobras prestado ao juiz federal do Paraná, Sérgio Moro. Quer o povo na ignorância, contrariando os princípios democráticos da transparência e publicidade. 

Mais uma vez, Aécio Neves se saiu melhor no debate. O que se viu foi uma Dilma robotizada, programada e treinada para responder sobre determinados temas, e passar por cima dos mais polêmicos e cavernosos. Assim, enquanto ela focava no passado, Aécio foi mais convincente ao falar sobre o presente e o futuro. Vamos combinar que é muito mais interessante para quem assiste. Até mesmo porque, o passado, passado é, ficou na história.

Aécio encerrou sua fala dizendo que lutará por um país unido, “sem nós, contra eles”, não permitindo que o Brasil seja dividido. É o que nós ansiamos também. Dilma, por sua vez, encerrou dizendo que o eleitor deve se perguntar quem é mais capaz. Pode deixar candidata, é o que pretendemos fazer daqui a 11 dias.


No lançamento do programa BOLSA FAMÍLIA, o então presidente Lula reconhece que a unificação dos programas do PSDB, foi mérito de Marconi Perillo, então governador tucano de Goiás. Confira:






As contradições de Lula sobre o Bolsa Família: em 2000, ele compara a distribuição de cestas básicas e tickets de leite, a peças de barganha em época eleitoral. Exatamente o que o PT faz hoje sem o menor pudor. Veja:



Sem comentários....



Shadow/Mariasun Montañés



Licença Creative CommonsO trabalho AS INVERDADES DE DILMA ROUSSEFF NO DEBATE DA BAND de MARIASUN MONTAÑÉS está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.


Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...