sexta-feira, 10 de abril de 2015



 O PLENÁRIO TÁ CHEIO DE RATOS, TUAS IDEIAS NÃO CORRESPONDEM AOS FATOS...




Ontem, como todos os dias de outono, amanheceu com uma bruma fria e cinzenta, inclusive em Brasília. Há quem diga que são manhãs tristes. Tenho a impressão que são mais do que isso; há uma certa magia no ar nessa época enquanto ficamos à espera do sol, sempre deslumbrante.

O dia corria normal. Nos jornais e internet, os leitores eram informados sobre o depoimento na CPI da Câmara dos Deputados do fiel filiado ao PT há 25 anos e tesoureiro do partido, João Vaccari Neto. Sob ele a suspeita de ter participado de reuniões com o ex-diretor da Petrobras, Renato Duque, para tratar do acerto de propina a ser transferida ao PT, a título de “doações”. Segundo o Ministério Público Federal foram feitas 24 doações no valor de R$ 4,26 milhões. Se meu pai estivesse vivo, certamente recortaria a manchete do jornal ou abriria um arquivo em seu PC para guardar o registro. Tinha a mania de colecionar notícias que considerava especialmente memoráveis. 

Ah, que pena não esteja mais aqui! Teria vibrado com o desmembramento dessa notícia....

Eis que, você está tocando a vida como habitualmente faz e – surpresa – fica sabendo que a galeria do plenário da Câmara dos Deputados foi invadida por ratos. Ahahahaha.... Mero recurso de linguagem? Não. Roedores de fato estavam circulando pelo Plenário, ao lado dos outros, se é que me entendem. Aí você viaja imaginando fios de microfones, paredes, cadeiras e CPIs sendo devorados pelos dentuços. Isso, sem deixar de sentir aquela sensação repugnante que a presença desses bichinhos causa; a mesma, aliás, de quando se pensa na quadrilha de políticos que tomou este país de assalto.

O incidente foi tão surreal, que chegou a ser destaque na imprensa internacional. Segundo o jornal "La Nación" ratos caminhavam "sobre o carpete verde do salão lotado ante um Vaccari impávido". Já a manchete da "Bloomberg News" ressaltou que ratos vivos "cumprimentavam" o tesoureiro do Partido dos Trabalhadores, João Vaccari Neto. O jornal uruguaio "El País" descreveu o fato como um caos de "cores circenses" entre políticos. Ahahahaha.... É o que acontece quando os ratos estão soltos.......

A diferença é que contra roedores de verdade há um arsenal de ratoeiras e iscas para exterminá-los, quando se trata de políticos ladrões, doce ilusão. E isso não tem a menor graça. No dia seguinte às investigações do Mensalão, os mesmos "ratões" continuavam articulando novas maracutaias e sangrando a Petrobras. Parecem pertencer àquela classe de ratos que deixam as armadilhas intocadas; são esquecidos pelas CPIs, conseguem escapar ilesos das investigações criminais, e, continuam a devorar o patrimônio público, para enriquecer e consolidar a hegemonia de um partido. 

Como é possível que esses nefastos roedores sejam capazes de driblar a Justiça e CPIs, e, fiquem impunes? Todos os acusados na Ação Penal 470, o Mensalão, estão em liberdade, a exceção de Marcos Valério (pena: 40 anos quatro meses e seis dias) e Kátia Rabello (pena: 14 anos e 5 meses). Pois é, sempre tem aqueles menos inteligentes, que são mal assessorados ou que desconhecem os benefícios da delação premiada, e, que acabam pagando o pato sozinhos por lealdade ou burrice.

Bem, se os ratos fossem assim tão fáceis de derrotar, eles não seriam um dos inimigos mais antigos – e odiados – da humanidade. Não é mesmo?

Depois de 12 anos no poder, proliferando até não bastar, não é de espantar que os dentuços tenham aprendido nossas falhas, montado esquemas de superfaturamento e corrupção em obras públicas achacando empreiteiras, e, desenvolvido truques para conviver conosco sem correr muito risco; o mais manjado é veicular à exaustão campanhas publicitárias cor de rosa, quando a situação aperta, até convencer o mais incrédulo de que eles são a solução para todos os males. Em alguns ramos da árvore genealógica desses ratos, isso já caracteriza uma evolução da espécie, um salto determinado para procriar e perpetuar-se no ninho do poder.

O convívio com eles nestes longos 12 anos não mudou só a vida deles. Esses roedores, na mão contrária, alteraram a história do país levando-o à recessão e à quebra de sua mais importante e próspera empresa, a Petrobras, antes motivo de orgulho nacional. Até na Bíblia os roedores mereceram citação. Em algumas passagens, eles são classificados como “impuros”. Os homens tementes a Deus deveriam manter distância deles.

Hoje o povo brasileiro quer distância deles, sim, e se pergunta: Ratos, como exterminá-los? Como? Já proliferaram em todas as esferas do poder, tendo aí encontrado uma fonte inesgotável de alimento e abrigo. Tanto é assim que várias espécies já foram catalogadas: camundongos, ratos, ratinhos, ratões, ratazanas, cada um - conforme a sua categoria - com uma fatia maior ou menor das riquezas, obras públicas, empresas estatais do país, em detrimento e empobrecimento da população. Em comum, apenas a origem: os esgotos onde engordam os partidos políticos, em especial, o PT, com sua prática lulista e plano de (des)governo para eternizar-se no poder e reinar na América Latina. Parte do que é saqueado é expatriado, "doado", para outros roedores vizinhos (Cuba Venezuela Bolívia Equador...), que também se alimentam da pobreza e sangue do seu povo, selando de vez a aliança dos bigodudos conosco. É de pasmar!!!

Para as pessoas que amam o seu país e acreditam na Democracia, ter ratos nos porões do poder é aviltante e inaceitável. E são essas pessoas, que estarão indo em coro, mais uma vez, às ruas no próximo dia 12, domingo, na esperança de começar a desratizar os subterrâneos, porque está mais do que provado que esses roedores são extremamente virulentos e nocivos à saúde. Enquanto escrevo, doentes moribundos estão à espera de atendimento no SUS, trabalhadores estão entrando para a estatística do desemprego, crianças jovens e educadores estão à espera de melhores escolas, milhares estão sonhando com a casa própria, o poder aquisitivo está caindo pelo enésimo dia consecutivo, algum tributo está sendo majorado ou criado, direitos estão sendo confiscados, e, a cesta básica está encarecendo.

Os ratos são uma rede global e subterrânea que enquanto engordam, levam ao declínio e ao esfacelamento toda uma Nação. Em seu habitat, eles são eficientes como atletas profissionais em sua especialidade. As ratazanas, as cabeças pensantes e articuladoras dos esquemas de corrupção, são capazes de aprimorar-se com rapidez; conseguem inventar atalhos, driblar CPIs, escapar de investigações criminais e retornar sem dificuldades ao ponto de partida, que são as próximas eleições. Por meio do engodo, da mentira, da verborragia, são como um pianista que, depois de aprender uma peça, consegue tocá-la de trás pra frente com a mesma desenvoltura. 

Os roedores são mestres na arte da enganação e da dissimulação. Fato! No entanto, nos últimos tempos, um número cada vez maior de eleitores engabelados e traídos, tem despertado, conseguindo enxergar que os ratos à solta rivalizam com seus interesses, que a roubalheira virou instituição, e, que o buraco aberto e roído dos cofres públicos, é uma cratera prestes a engolir a todos. Depois de muito penar, as pessoas conseguem ver que foram lesadas não apenas no patrimônio público que lhes pertence, mas em sua dignidade. Ufa!

O povo saído das redes sociais, neste domingo, irá mais uma vez às ruas pedir mudanças e a punição aos desmandos e à bandalheira de um partido político. Tolerância zero para crimes e criminosos! Esse é o clamor que estará novamente tomando as ruas de norte a sul do país, colorido de verde e amarelo, a nossa cor. 

Ah, e quanto aos ratinhos que se deram ao desfrute de circular ao lado dos nobres congressistas, foram capturados. O líder deles bem que tentou argumentar: "Nosso movimento é apartidário”, outro, em sua defesa alegou: “Eu não sei de nada”. Em vão. Fontes informam que eles foram engaiolados. Não é de se estranhar, pelo que foi apurado tratava-se de um hamster, dois esquilos da Mongólia e dois ratinhos cinza; nada parecido com ratões ou ratazanas, se fossem, na certa, teriam escapado.





Os brasileiros só não podem desistir
da Petrobras nem da nossa Nação
Porque são eles que possuem o poder
De escolher qual será sua direção...


Shadow/Mariasun Montañés




Licença Creative CommonsO trabalho O PLENÁRIO TÁ CHEIO DE RATOS, TUA IDEIAS NÃO CORRESPONDEM AOS FATOS... de MARIASUN MONTAÑÉS está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.


Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...