quarta-feira, 26 de agosto de 2009



UMA FORÇA MAIOR QUE O INSTINTO




Esta é a história de Legadema, uma jovem leopardo que em determinado momento encontra um filhote de babuíno. A partir daí aflora um conflito interno, que desafia o seu instinto felino: protegê-lo ou devorá-lo para saciar a fome?

Você é capaz de imaginar como Legadema irá por fim a esse conflito, considerando-se inclusive que na escala alimentar o leopardo, é o predador?

E então, já encontrou uma resposta? Pois agora assista ao vídeo e tire mais algumas conclusões. Bom divertimento !!



video


Bonita história, não?


Mas, se você analisar bem, esta não é apenas a história de Legadema, ela também é a nossa história, porque nos remete, nos confronta e nos leva a refletir sobre aquilo que o homem mais teme: o animal selvagem interior que, vez ou outra, desafia o intelecto, fazendo com que, às vezes, ele desista de sua própria humanidade.


MORAL DA HISTÓRIA:

Legadema está aí para nos dizer, que quando o homem aprender a respeitar todos os seres da criação, ninguém precisará ensiná-lo a amar o seu semelhante

E você? O que aprendeu com Legadema?


Shadow/Mariasun




Creative Commons License
UMA FORÇA MAIOR QUE O INSTINTO by MARIASUN MONTAÑÉS is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Vedada a Criação de Obras Derivadas 3.0 Brasil License.


23 comentários:

Nadine disse...

Nossa, que lindo! Me encantei com Legadema. Realmente ainda há muito que aprender com os anim animais.

Vani disse...

Que fofa essa Legadema, me apaixonei por ela. Queria levar ela pra casa. Parabéns mais uma vez pra vc, esse vídeo é super especial. Começando o dia mais inspirada agora.

RENATA PAN disse...

Shadow,
Cada vinda aqui nesse cantinho é um colírio para os olhos e de paz para a alma. Falei bonito ne? Mas é o que sinto. Te aplaudo mais uma vez em pé, parabéns.

Vani, minha linda, tá certo que a Legadema é um felino, mas não é um gatinho, ela adotou o macaquinho mas isso não quer dizer que vá adotar o seu poodle. Não me leve a mal, só estou falando porque sou sua amiga e amo aquele poodle, viu?

Renata disse...

Lindo demais, adorei. Só vc mesmo pra nos encantar desse jeito. Obrigada amiga, vc é igual à luz. Bjs

Vani, um recadinho, presta atenção. Nao inventa de levar a Legadema pra tua casa, deixa lá na casa da Pan, quem sabe ela aprende a dominar seu instinto selvagem com o bichinho.

rintin disse...

Não sei não, ela tá lambendo muito o babuíno, sentindo o gosto. Talvez esteja esperando ele ficar mais forte e suculento. Eu se fosse o babuíno caia fora na primeira chance. Fui.

Renata disse...

Rintin, olha amado, confesso que também pensei nisso. Até o final fiquei aflita pelo destino daquele filhotinho raquítico, só não tive coragem de comentar, pra não ficarem achando que ando com o instinto selvagem aguçado demais.

RENATA PAN disse...

Olha Renata, ainda bem que foi você quem falou e não eu, mas, convenhamos, que moral você tem pra falar do instinto selvagem de alguém. O rintin eu desculpo porque ele é o meu lindo, mas, você imaginar que a doce Legadema (que a Vani colocaria em casa) seria capaz de degustar aquele meigo macaquinho, é demais.

Shadow disse...

Pessoas,

Pelo visto gostaram de Legadema. A história é tão fascinante quanto inacreditável, uma força maior sobrepujando o instinto (seria amor?). É evidente que a natureza segue seu rumo, e que mais cedo ou mais tarde o babuíno irá ao encontro dos seus, mas isso não importa, o que permanece em nossos corações é esse sentimento que acolhe e aquece, trazido até nós de forma tão singela por um leopardo e um babuíno.

Abraços, até amanhã

A Itinerante - Neiva disse...

Shadow,

Emocionante e belo.

O instinto maternal é inexplicável e um dom de Deus, um dos mais sublimes aliás. Sem ele duvido que a raça humana ainda existisse, se é que teria existido algum dia.

Beijos

entrepontosevirgulas disse...

Olá, Shadow!

Afinal, descobri o seu cantinho. A Neiva havia comentado sobre vc e seus interesses afins com os meus.

Muito lindo o vídeo. Os animais nos surpreendem a todo momento nos oferecendo belíssimas e ricas oportunidades de aprendizado.

Seja bem-vinda ao mundo dos blogueiros. Aos poucos iremos nos conhecendo melhor.

Bjs
Sonia

Nadine disse...

Todas as manhãs passo na Bella Paulista para tomar um café e comprar umas rosquinhas para o lanchinho no escritório. Continuamos com o hábito de fazer vaquinha para o recreio, já percebeu não? Todos os dias peço para que a moça faça dois pacotinhos. Ali perto da Haddock, em uma das esquinas, quando fecha o farol, costumo encontrar uma linda garotinha, meiga, não deve ter mais do que dez anos, está sempre mal vestida, mal agasalhada para o frio que tem feito em São Paulo, ela fica pedindo dinheiro, ou pra lavar o pára-brisas do carro, quando me vê já sabe que não gosto que lave os vidros, mas sempre estende a mão esperando o pacotinho de rosquinhas. É tão louco isso, que se por acaso não está, fico imaginando o que a terá atrasado, o que terá acontecido com ela. Hoje ao vê-la lembrei de você e de Legadema, queria tanto que ela encontrasse uma Legadema que lhe desse amor, agasalhasse, a levasse à escola. Isso mexeu comigo, precisave dividir. Bjs e um bom dia.

Vani disse...

Bom dia gente.
Nadine, acabei me emocionando, viu? Eu já vi essa garotinha também, é muito lindinha mesmo, mas já reparei que ela não fica sozinha, tem umas duas crianças mais que estão pela redondeza, fisicamente bem parecidas com ela inclusive. Eu fico me perguntando onde estão os pais dessas crianças?

RENATA PAN disse...

Bom dia.
Com certeza não se pode chamar de pais, quem ensina a criança a viver da mendicância, quando deveria estar na escola e bem agasalhada, a pobreza não justifica isso, ao menos na escola estaria aprendendo e se alimentando com a merenda escolar. O que acontece é que por trás dessas crianças tem sempre um adulto, que pega o dinheiro delas pra gastar em cachaça. Nadine, não dê dinheiro não, isso é errado, continue dando as rosquinhas, pelo menos isso será pra ela e as outras crianças.

Renata disse...

Bom dia.
Esse assunto mexe comigo. Já estive no orfanato que a Shadow é madrinha, e nessa visita uma garotinha – não devia ter mais do que 2 aninhos – grudou em mim, os olhos grandes da cor de jabuticava pareciam sorrir pra mim o tempo todo, uma hora pegou na minha mão, quase desmontei ali. Minha vontade era pegá-la no colo e levá-la pra casa. Tenho pensado muito em adoção a partir daquele dia. Bom, como diz o rintin, fui.

Shadow disse...

Neiva,
Você definiu bem, realmente esse é o instinto da vida.

Sonia,
Bom te ver por aqui. Volte sempre.

Beijos

Shadow disse...

Nadine,
Você não percebeu ainda? A Legadema dessa garotinha é você. Sabendo como você é, sei que o pacotinho de rosquinhas vai acompanhado de um sorriso, iluminando e aquecendo o dia dela. Da mesma forma, que você sente a falta dela quando não está no semáforo, ela deve sentir a sua quando você não passa. Tem uma chaminha aí ou não? Garanto que esse teu gesto, é capaz de alegrar as manhãs dessa garotinha e que em vários momentos ela se distrai pensando na moça do pacotinho de rosquinhas. Isso é amor doado, amiga.

Vani,
Os pais dessas crianças se morassem nos Estados Unidos ou Europa já teriam perdido o pátrio-poder e estariam presos por exploração dos filhos menores e por vadiagem (que também é considerado crime pelo nosso Código Penal) e essas crianças estariam abrigadas em uma das inúmeras instituições que dão amparo e escolaridade ao menor. É uma pena que o Estatuto da Criança e do Adolescente e a Lei Penal não sejam aplicados como deveriam nesta cidade tão bela, nem no restante do país.

Renata Pan,
Você está certa a pobreza não justifica a mendicância, a vadiagem. Este é o país dos coitadinhos, e por trás dessa capa, instituiu-se a lei do menor esforço, é mais fácil colocar as crianças pedindo dinheiro nas ruas, do que os pais procurarem emprego nem que seja de gari, faxineira ou frentista em posto de gasolina. Enquanto a mentalidade do país não mudar, para valorizar aqueles que trabalham e que de fato pelejam para dar a sua contribuição à sociedade, nada mudará, e as crianças continuarão nas esquinas, ao invés de estarem na escola, se preparando para ter um futuro mais digno. E você está certa, Nadine não dê dinheiro não, por trás dessas crianças tem sempre um adulto cachaceiro, continue dando o seu pacotinho de rosquinhas ou balas.

Renata,
Sei exatamente o que você sentiu. Mas não esqueça que para aquelas crianças, toda e qualquer pessoa é novidade, é motivo de festa e alegria. Elas grudam mesmo em busca de um olhar, um sorriso, um toque de mão, um carinho. Estão sempre à procura de sua Legadema, e a gente é tocada por isso, não tem como não ser. Porém, há uma distância grande entre esse ligeiro contato e uma adoção. Essa é uma decisão séria, que só deve ser tomada quando a pessoa estiver preparada e quiser muito isso, para que não haja arrependimento, senão é melhor ficar só nas visitas. Adotar uma criança é um gesto de amor, mas também implica em responsabilidade, paciência, preparo para mudar toda uma vida de uma hora pra outra. Não quero dizer com isso que você não esteja pronta, apenas que deve pensar bem e deixar a idéia amadurecer. Se um dia você se decidir pela adoção, eu te ajudo.

Mil Beijos

Nadine disse...

Nossa, que lindo! Eu nunca tinha analisado por esse ângulo, você conseguiu mexer comigo agora. Não vejo a hora de passar por lá amanhã, e levar um pacote mais recheadinho. Obrigada minha querida.

RENATA PAN disse...

Olha Nadine eu te conheço, só não vá deixar a gente orfã dos quitutes pro lanchinho e cafezinho tão esperados. Pensa na motivação pro trabalho também. Faça como a Shadow falou, dê valor a quem rala o dia inteiro.

Renata, se o teu vacilo for em razão de madrinhas, já percebeu que isso é assunto superado, madrinhas é o que não vai faltar pro filhote ou pra filhote.

Renata disse...

Te agradeço do fundo do coração. Pretendo voltar lá e fazer mais visitas. Te ligo. Bjs

Shadow disse...

Não posso deixar de reconhecer que vocês trouxeram temas interessantes hoje aqui. Parece que Legadema mexeu com a gente, essa força que é maior que o instinto...

Agora retornem direitinho pra casa e tenham um bom descanso. Amanhã é outro dia!

Beijos!!

A Itinerante - Neiva disse...

Boa noite, meninas.

Papinho animado e interessante. Minha irmã adotou uma menina. É a cara dela, escrita e escarrada. Se fosse sua filha não seria tão igual.

Quando é para ser...

Beijos

Shadow disse...

Olá Neiva,

Eu cheguei a ver uma foto dela uma vez, é muito fofa. Você tem razão, com o tempo as crianças acabam pegando o jeito de alguém da família, aquela pessoa com quem mais se identificam, pela convivência e talvez por uma força maior.

Um forte Abraço

A Itinerante - Neiva disse...

Shadow,

Cheirinho de coisa nova, é?

Tô é lascada! Tinha que fazer meu template e nem encostei nele. Não consigo parar de escrever Canto de Liberdade.

Ô vida dura! kkkkkk

Beijos.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...