sábado, 11 de fevereiro de 2017



A LEI É DURA, MAS É A LEI 


Era uma casa muito engraçada não tinha teto... não tinha nada....

Não sei como expressar meu sentimento neste momento...

Enquanto escrevo os capixabas estão acuados em suas casas há vários dias, vendo com perplexidade das suas janelas: vandalismo, saques, assaltos, homens armados, tiros.
Não, não é ficção, o Estado do Espírito Santo está sitiado. Grupos armados e organizados, vindos sabe-se lá de onde, estão levando o terror às ruas, enquanto a Policia Militar permanece nos batalhões,
A população está presa em suas casas e os bandidos à solta. Vitória, a bela capital capixaba, mais parece uma cidade abandonada do velho oeste: ruas vazias; escolas, postos de saúde, bancos e o intenso comércio, fechados; as pessoas parecem haver sido abduzidas.
Um absurdo. Mais um!!! Aliás, o Brasil é o país dos absurdos. A Lava Jato escancarou isso à queima roupa para todos nós. Ao longo de décadas fomos sacaneados pelos representantes que elegemos. Fomos roubados. O país foi privatizado para a Odebrecht.  Nenhum contrato ou obra era realizado sem passar por essa famigerada empresa, movida a propina para engordar corruptos e malfeitores, em detrimento de escolas, hospitais, moradias e o bem estar dos brasileiros. Enquanto o povo agonizava, empresários donos de empresas de fachada, de petróleo inexistente, eram apresentados pela Presidente da República como: "Orgulho do Brasil". Era o padrão Eikeano de governo.
Uma realidade cruel e silenciosa jamais vista em qualquer outra parte do mundo.
Como deixamos isso acontecer?!? É a pergunta que fica entalada na garganta.
A vida pública brasileira é uma vergonha, as instituições estão falidas e os direitos dos cidadãos estão sendo subvertidos. Ao longo dos anos o Estado foi sendo corroído e corrompido, alimentado pelo nosso silencio e comodismo. Essa é a realidade.
Não dá mais para aceitar esse estado de coisas passivamente, sem se sentir indignado. “No Brasil é assim mesmo”, “Não tem jeito”, “Daqui pra frente só vai piorar”, são respostas erradas. O Brasil nos pertence. É inaceitável que em seu território haja lugares onde os cidadãos comuns e até a polícia não entrem. É inaceitável que Alcaçuz seja terra de ninguém. É inaceitável que viciados se droguem a luz do dia na Cracolandia, no centro de São Paulo, como se isso fosse natural. É inaceitável que ao parar num semáforo, você seja assaltado a mão armada. É inaceitável que as pessoas não possam exercer o seu direito de ir e vir na cidade em que moram. É inaceitável que apesar do que a Lava Jato apurou e investigou os políticos brasileiros ainda ajam na calada da noite para conchavar, blindar os corruptos e tripudiar sobre os interesses do povo.
Essa casa, a nossa casa, que é o Estado brasileiro, além de não ter teto, está caindo e sendo carcomida pelos ratos que se apossaram dela.
Onde foi parar a honestidade e a conduta ilibada das autoridades deste país???
Será que não veem que quando o poder se corrompe, o poder paralelo se estabelece??? É preciso mudar os padrões de moralidade na vida pública, senão sucumbiremos, e o que vimos em Alcaçuz ou o que estamos vendo no Espírito Santo será apenas o começo.

O importante neste momento é exigir a aplicação da lei. “Dur a lex, sed lex”; a lei é dura, mas é a lei. Tolerância zero para a criminalidade. Tolerância zero para a corrupção, corruptos e corruptores. Tolerância zero para a turma dos direitos humanos e sua política paternalista com os bandidos. Tolerância zero para aqueles que não fazem jus à farda que vestem. A impunidade gera o caos. Pequenos delitos geram crimes maiores. A indulgência gera a transgressão. Políticos corruptos geram a pobreza, a ruína e a desesperança de uma Nação.
É preciso acabar com a inversão de valores neste país. É preciso respeitar o conceito de família, sim, é nela que começa a formação do cidadão. É preciso proteger direitos fundamentais como o direito à vida e à religião, ao invés de banalizá-los. É preciso acabar com a doutrinação ideológica nas escolas e Universidades, o indivíduo deve aprender a pensar por si.
O poder deve ser exercido para proteger o cidadão e a lei para ser cumprida. Simples assim.

Alguns parasitas, sociólogos e a imprensa esquerdopata demonizam a polícia militar. Criticam sua atuação ostensiva, acendem vela pra bandido, apedrejam as políticas de Segurança Pública e propagam o enfraquecimento bélico da população. O resultado disso??? Está lá no Espírito Santo.
Sabem por que o comunismo acaba com os batedores de carteira? Porque antes eles acabam com as carteiras.
Ainda dá tempo de refazer o telhado antes que a casa caia.
Nesta semana li que uma aluna de escola pública passou em primeiro lugar no curso de Medicina em Ribeirão Preto. A manchete era: negra e pobre em primeiro lugar na Medicina da USP”. E pra piorar, ela própria dizia na entrevista: “A casa-grande pira quando a senzala vira médica”. Coitada!!! Que visão estreita e tacanha tem de si mesma!!! Ela passou em primeiro lugar porque ao invés de ficar na rua, estudou; porque ao invés de se vitimizar, acreditou no seu potencial.
Para que haja mudanças é preciso acabar com discursos como esse implantados por sociólogos de esquerda que esculhambam com o negro, associando-o a pobre, coitadinho, vítima da sociedade; menosprezam a mulher, associando-a a uma figura frágil, dependente do marido, incapaz de competir com o homem de igual para igual; que fomentam a divisão regional, como se o sul rivalizasse com o norte. Isso nada mais é que do que a reprodução de uma ideologia, para fomentar o ódio e a divisão social. Discurso raso de quem quer lucrar com a queda do telhado. Isso é tão forte que as pessoas acabam introjetando essas asnices como verdades absolutas. É o caso da estudante de Medicina, que em momento algum associou o seu sucesso à sua capacidade e esforço, mas à senzala chegando na casa-grande.
Somos massa de manobra daqueles que querem perpetuar-se no poder. Para eles quanto maior o caos, melhor.
Até o momento o número de pessoas assassinadas no Espírito Santo, em menos de uma semana, já passa de 100. A população com medo enfrenta longas filas nos poucos mercados abertos em busca de mantimentos. Não. Não estamos falando da Síria. Estamos falando do Brasil.
Chega!!!!
O Exército nas ruas não é a solução, ele não existe para apagar incêndios domésticos, existe para cuidar e defender as nossas fronteiras de invasões, do tráfico de drogas e armas. A Guarda Nacional não pode substituir a Policia Militar, até mesmo porque é uma força paramilitar do PT. O Governador do Espírito Santo e o Governo Federal, ou qualquer outro Estado, não podem sucumbir a isso. Faça-se cumprir a lei. Apenas isso.

“Há aqueles cuja principal habilidade é fazer girar as rodas da manipulação. É a sua segunda pele, e se estas rodas param de girar, eles simplesmente não sabem o que fazer”. (C.JoyBell C.)



"Pecar pelo silêncio, quando se deveria protestar, transforma homens em covardes" (Abraham Lincoln)


Shadow/Mariasun Montañés

Licença Creative CommonsA LEI É DURA, MAS É A LEI de MARIASUN MONTAÑÉS está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.




Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...